Minha lista de blogs

Total de visualizações de página

Páginas

terça-feira, 2 de agosto de 2011

A mil por hora!!!!!!!!

Saudades do meu Blog!!!!!

Boa noite, meu povo do Espalhaffattos!!!!! Ando sumido (pra variar) por motivo muito justo. Fui aprovada em concurso e ja fui chamada!!!!! Agora é assumir e ralar. Prometo não desaparecer....

sábado, 25 de junho de 2011

Ainda o baú cor-de-rosa

Lembraças de Dindinha!!!!

Todo dia, na hora do lanche, lembro dela: não pode faltar queijo na mesa.  A mesa, aliás, tem que ser farta - henrança da criação de origem portuguesa. Quando criança, mal ela entrava na minha casa e me pendurava nela para pentear os cabelos pretos, curtos e muito lisos. Pela foto (me foi enviada por Jorge Rosa, meu primo) percebe-se que ela chamava a atenção. Na foto ela está sentada, ao lado de Tio Antônio Rosa, irmão de Dona Bere (mamy).
Legal mesmo era quando eu e minha irmã, Teresa Cristina  "dividiamos a cabeça dela ao meio, literalmente". "Metade ficava para a Sandra a outra metade para a Teresa Cristina". Detalhe. Essa algazarra toda feita com a madrinha da minha irma, Teresa.  A minha, Cláudia Passos Santos, morava em Vitória e eu só a via nas férias de fim de ano. (esse é um capítulo à parte, que contarei a seguir). Então a algazarra era feita com Dindinha, que estava logo ali. 
Ah. O meu primeiro conjunto de calcinha e sutiã, quando as formas apareceram, por volta dos 12 anos, ganhei dela - Tia Nadir (para os outros, para mim era Dindinha,mesmo!!!!).  Lindo, de renda branca com sianinhas vermelhar e azuis.
Lembro-me de Dindinha, sempre na cozinha. Comida boa!!!!!!!!  Os pastéis de carne, tradicionalissimos, fresquinhos, fresquinhos. Reza a lenda que minha prima, Ana Bárbara, uma das netas dela, herdou a boa mão. Ainda não experimentei, mas acredito  na hereditariedade. Tremoços me lembram Dindinha. Meu primo, Jorge Luiz, caia  de boca.
Uma das últimas lembraçanças de Dindinha são da época em que prestava vestibular para Direito na Universidade Estácio de Sá, em julho de 1988. Fui na casa dela, no Estácio, para dar um beijinho nela, como fazia quase sempre desde haviamos nos mudado para a Rua Barão de Itapagipe, na Tijuca. 
Ela me deu um beijo, disse que eu ir tranquila para a prova  que "eu iria me sair muito bem". Passei em oitavo lugar. No dia 27 de setembro daquele mesmo ano ela faleceu. 
A data para nós, da família, é emblemática. Dia 27 de Setembro era a data do aniversário da minha madrinha de batismo, Cláudia Passos Santos, e, desde, que as minhas sobrinhas gêmeas nasceram, em 1989, sempre foi um dia muito comemorado.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

No fundo do baú cor-de-rosa

Bonecas de olhos de retrós, goiabada caseira e quebra-queixo

Ando afastada do meu blog principal. Mas os que me conhecem sabem que não seria sem motivo muito justo, além da tão propalada "falta de tempo". Assim como tenho motivos de sobra para estar escrevendo, a essa hora da tarde, como se eu nada tivesse a fazer.
Um primo - nada distante ao longo da minha vida - me fez mexer o velho baú da familia Rosa.
Dali retirei lembranças mavilhosas. Essas lembranças têm nome e sobrenome: Eduardo Rosa e Silvina Martins Rosa: meus avós. 
Era "Seu Rosa", com seus 1,80m. de altura e olhos de um verde profundo, quem me dava broncas e ia atrás da "pestinha" quando eu chegava na casa deles para as férias, em Vitória (ES).
Era Vivina que me costurava milhares de bonecas de pano  - uma das poucas coisas que me faziam ficar de facho quieto por algum tempo. Assim como era Vivina quem - de dia - preparava doce de banana cor-de-rosa que eu achava lindo - e, principalmente, delicioso. De noite: a sopa de macarrão era tradicional e imperdível.
Também era de noite que, chovesse ou fizesse sol, "Seu Rosa" nos dava a tradicional balinha de antes de dormir. Se ela era muito açucarada ele reclamava: - doooocceeeee!!!!
Com "Seu Rosa" descobri a existência  do Esperanto, lingua que, infelizmente, não consegui aprender com ele.
Com Vivina aprendi versinhos mil que ela adorava declamar.
Nas tardes de verão, na casa da Avenida Senador Salgado Filho, em Jucutuquara, era tradicional também a espera pela passagem do vendedor  de quebra-queixo. Quando ele chegava era uma algazarra. A criançada se aglomerava ao redor para só deixar o local com o seu pedaço de doce na mão.
Quando chovia minha mãe, Dona Bere, me deixava sapatear nas poças formadas pela água da chuva e eu a-do-ra-va!!!!
Essas e outras lembranças me vêem a cabeça quando revejo a foto do casamento dos meus avós - que viveram juntos por mais de 50 anos (Vê lá se esse povo moderninho aguenta tanto tempo lado-a-lado???). Não cheguei a conhecer meus avós paternos - cuja reverência faço aqui ("Seu Milú" e Dona Hermínia). Mas creio que não fossem muito diferentes dos Rosa. 
São lembranças que estão no fundo do meu baú cor-de-rosa e aos poucos, prometo, vou contar para vocês.
     

  

sábado, 14 de maio de 2011

Espalhaffatto - Notícia a qualquer hora: Visita a Casarão Alemão em Caraébus (Serra/ES)

Espalhaffatto - Notícia a qualquer hora: Visita a Casarão Alemão em Caraébus (Serra/ES): "Um programão para esse fds gente corre, que ainda dá tempo!!!!!!!!!!! Quem está no balneáreo de Carapebus ou nas imediações da Serra (tivó..."

Visita a Casarão Alemão em Carapebus (Serra/ES)

Um programão para esse fds

gente corre, que ainda dá tempo!!!!!!!!!!! Quem está no balneáreo de Carapebus ou nas imediações da Serra (tivória/ES) não deve perder a oportunidade. Acontece hoje e amanhã um tremendo passeio turístico cultural.
Trata-se de passeio fotográfico e visita ao "Casarão fantástico" chamado assim por conta de sua construção, repleta de particularidades únicas.
A visita acontece hoje (uma já começou as 9 horas da manha) a próxima será as 14 horas e amanhã.

INFORMAÇÕES: (27) 9827-0777



CONFIRMAÇÃO DE PRESENÇA: envie nome, e-mail e tel. de contato para o e-mail adsonvix@hotmail.com informando dia e horário que irá.
 
Um pouco de História
 
Fonte: Ádson Lima
 
"O imóvel foi construído na década de 50, com muito esforço e sem muitos recursos, pelos moradores da região de Carapebus, supervisionados, verbalmente, pelo excêntrico e misterioso proprietário (pelo que já apurei, a fortes indícios que sua construção foi patrocinada pelos alemães para servir de "ponto de passagem", para as autoridades nazistas e a cada dia descubro mais particularidades, incríveis, dessa fantástica história. Os trabalhadores não dispunham de planta ou qualquer outra forma de orientação para a edificação. Sua arquitetura é alemã e as particularidades existentes mexem com o imaginário das pessoas. Trata-se de uma edificação estratégica, um valhacouto, supostamente construído para abrigar fugitivos nazistas (quem sabe o próprio Menguelle não passou por aqui! Estou tentando descobrir), o casarão possui circulação interna e externa facilitada; passagem secreta para fuga, por meio de um eficiente túnel; porta chaves secreto; “portinholas” para observação de 180º; elevador com 2(dois) acessos, que permitem embarque e desembarque simultâneos em dois ambientes distintos; garagem para desembarque reservado e outra para ocultação de veículos; piso falso, para abrigar fugitivos; seu telhao era negro, para evitar visaõ e locazação aérea; possuia um "pronto socorro" (ainda em apuração), câmeras frigoríficas e outras características ainda ocultas e a serem descobertas.
Possui mais de 40 (quarenta) cômodos interligados e distribuídos em seus 4 (quatro) pavimentos (porão, térreo, primeiro andar e sótão) acessíveis por escadas e elevador.
O túnel, que liga o interior do Casarão às margens da lagoa, com dois acessos, sendo um partindo de dentro de um guarda-roupa, impressiona por sua dimensão e detalhe estratégico: um poço para deter e retardar uma perseguição.
Sua estrutura é de alvenaria e madeiras nobres, com técnica alemã contra a invasão de cupins. O telhado foi todo montado por meio de encaixes precisos e o portão principal pertencia a Casa da Moeda do Rio de Janeiro".

Tombado, mas sem conservação


"O Casarão, localizado no Balneário de Carapebus (Serra/ES), tem relevância histórica e social por essas características, que são únicas e potenciais. 

As comunidades em seu entorno desejam o tombamento ou aproveitamento do imóvel para a criação de um "Parque Social", abrigando projetos culturais e ambientais e como sede de instituições de interesses afins, tendo em vista as condições físicas favoráveis existentes no local.
A própria Secretaria Municipal de Turismo (Setur), em vistoria feita em dezembro de 2009, já recomendava a preservação da área. O documento argumenta que há “forte” potencial histórico, turístico e paisagístico. E ainda diz que há um “legado imagético que o torna ainda mais diferenciado”.
Infelizmente, após essa recomendação, a construtora iniciou na ocasião a sua demolição, sendo essa embargada pela Prefeitura graças a mobilização das comunidades. Infelizmente, os telhados já tenham sido removidos e o casarão encontra-se exposto ao tempo, o que irá contribuir para a sua deterioração. Além disso, pessoas invadem o local, roubam madeira nobre e danificam o imóvel em busca de um suposto tesouro, que faz parte do imaginário local".

"O Casarão" no Youtube

http://www.youtube.com/watch?v=D4LzNJWniVE

Espalhaffatto - Notícia a qualquer hora: Bela temporada longe e perto

Espalhaffatto - Notícia a qualquer hora: Bela temporada longe e perto: "Muitos assuntos a comentar Gente!!!!!!!!!!! Continuo na área. Dizem - os invejosos - que só tenho olhos para o Espalhaffottos! Mentira des..."

Bela temporada longe e perto

Muitos assuntos a comentar

Gente!!!!!!!!!!! Continuo na área. Dizem - os invejosos - que só tenho olhos para o Espalhaffottos! Mentira desse povo. Muitos acontecimentos me levaram a "deixar de lado" meu blog inicial. Mas, vamos que vamos, espalhando os ffattos por ai.
J.C. já te vi no blog. Bom saber que vc. me segue (aliás, ao blog)

domingo, 17 de abril de 2011

#RioBlogProg: Programação

#RioBlogProg: Programação: " I Encontro Estadual de Blogueiros do Rio de Janeiro Sexta-Feira – 06/05 18 horas – Abertura do credenciamento 19 horas – Palestra: “D..."

#RioBlogProg: Contato

#RioBlogProg: Contato: "Ingresse na lista de discussão do #RioBlogProg para fazer contato com os internautas progressistas do Rio de Janeiro. Ou ent..."

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Nova Edição do curso Técnica de Redação Jornalística IGEC

Para blogueiros e profissionais da área

Quem gosta de escrever e é da área de comunicação não pode perder a oportunidade Começa em junho edição do curso de Técnica de Redação Jornalistica do Instituto de Gestão e Comunicação (IGEC). Detalhe: o curso é inclusivo. A idéia é capacitar profissionais, incluindo os com necessidades especiais visuais e auditivas, à elaborar textos e matérias, para os diversos mercados e veículos (blogs, colunas e artigos). Todas as disciplinas terão participações especiais de palestrantes. Mais informações http://www.igec.com.br/pos-graduacao-detalhe.php?curso=14&turma=12

E porque não?????

Intercâmbio estudantil acessível

Essa também é do Blog Turismo Adaptado.

No Brasil, Ana Beatriz Ranieri, de 16 anos, está acostumada a fazer balé contemporâneo, montar a cavalo e nadar. Mas a estudante, que é paraplégica, deixou desconcertada a professora de dança da Stelly's Secondary School, em Victoria (distrito de Vancouver, no Canadá), ao aparecer na aula.

- Ela não estava acostumada a lidar com alguém em cadeira de rodas, ficou meio perdida. Foi um choque - conta ela, que está fazendo intercâmbio no Canadá desde setembro. - Cheguei até a pensar em desistir, porque o estilo de dança deles é ensaiado, com os passos marcados. Isso foi uma dificuldade tremenda para mim, pois eu acho que a dança deve vir da pessoa e de seus limites. Foi então que eu notei que tinha muito a contribuir com a aula e resolvi ficar. Agora, quero entrar no basquete - planeja.
Apesar da saudade de casa - ela conta que sente falta "até do colégio" onde estuda, em Niterói -, Ana Beatriz diz que a experiência está sendo maravilhosa, principalmente porque a cidade é plenamente adaptada a cadeirantes:
- Tenho muita liberdade para me locomover, pois os ônibus são todos adaptados, e há banheiros assim em qualquer lugar a que eu vá. Pude até esquiar sem problemas, e foi maravilhoso. Mas tenho sentido mais olhares "tortos" do que no Brasil, talvez porque, justamente pela autonomia que tenho aqui, faço muitas coisas sozinha. De qualquer forma, não importa o lugar a que se vá, vão ter uma percepção diferente de você.
Não há programas específicos para pessoas com deficiência nas agências de intercâmbio, mas isso não significa que quem está interessado em passar uma temporada no exterior deva desanimar. Segundo o diretor regional da Bex-Niterói, João Guilherme Mofati, a maior dificuldade enfrentada pela estudante foi encontrar uma escola que pudesse atender a todas as suas necessidades. Ele conta que Ana Beatriz é a primeira intercambista cadeirante da agência, que está há 20 anos no mercado e tem 12 escritórios espelhados pelo país:
- Fizemos uma procura em cerca de cinco escolas nos Estados Unidos, Canadá e Nova Zelândia. Apenas mudou um pouco o processo. As famílias brasileira e canadense travaram mais contato, e eles até construíram uma rampa na frente da casa para ela, que foi bancada pela escola. Todos "compraram" o projeto de recebê-la.
A Turismo Adaptado tem explorado o campo dos intercâmbios para escolas e universidades de diversas partes do mundo, para oferecer as melhores ofertas. Alguns locais oferecem uma estrutura muito boa para a locomoção e o aprendizado, como Vancouver que já foi eleita por mais de uma vez a melhor cidade do mundo para morar, e sediou as Paraolimpíadas de Inverno em 2010. A Vancouver English School é uma de nossas parceiras que possui acessibilidade para todos os ambientes da escola.
watch?v=GHrxAts6V6E&feature=player_embedded

Fonte: O Globo

Acessibilidade já!!!!!

Judô para cegos  - muito ouro

Essa notícia está no blog Turismo Adaptado

Ponto para nós!!!!!

A arte marcial foi a primeira modalidade de origem asiática a entrar no programa paraolímpico. Desde a década de 70 já se praticava a modalidade. A estréia em Paraolimpíadas foi em 1988, em Seul. Na época, só lutaram os homens com deficiência visual. E assim foi em Barcelona, Atlanta e Sydney. Em Atenas (2004) marcam a entrada das mulheres nos tatames paraolímpicos. A entidade responsável pelo esporte é a Federação Internacional de Esportes para Cegos, fundada em Paris, em 1981.

Assim como em todo o mundo, a década de 70 marcou o princípio do judô no Brasil. Em 1987, os judocas brasileiros participaram pela primeira vez de uma competição internacional, o Torneio de Paris. Desde quando a modalidade passou a fazer parte dos Jogos Paraolímpicos, o País demonstra ser uma das maiores potências do planeta. Em Seul (1988), Jaime de Oliveira (categoria até 60kg), Júlio Silva (até 65kg) e Leonel Cunha (acima de 95kg) conquistaram a medalha de bronze. Com esses resultados, o judô passou a ser a quarta modalidade brasileira a subir no pódio paraolímpico. Atlanta (1996) teve um significado especial: o Brasil conquistou pela primeira vez a medalha de ouro com o judoca Antônio Tenório da Silva, na categoria até 86kg. Em Sydney, Tenório foi novamente campeão paraolímpico, desta vez na categoria até 90kg.
As mulheres não ficam atrás. Karla Cardoso (até 48kg), conquistou no Mundial da IBSA, em 2003, a vaga de Atenas. Danielle Bernardes (até 57kg) ganhou o bronze e também carimbou seu passaporte para a Grécia. Em Atenas os brasileiros brilharam mais uma vez, com a medalha de ouro de Antônio Tenório (até 100Kg), a prata de Eduardo Amaral (até 73 Kg), a prata de Karla Cardoso (até 48Kg) e o bronze de Daniele Silva (até 57Kg). Pequim teve o melhor retorno para o judô em todas as Paraolimpíadas que o Brasil participou, com uma medalha de bronze para Michelle Ferreira (até 57kg), prata para Karla Cardoso (até 48kg) e Deanne Silva (acima de 70 kg) e a quarta medalha de ouro seguida em Paraolimpíadas conquistada por Antônio Tenório (até 100Kg).

Classificação

Nesta modalidade os atletas deficientes visuais das classes B1, B2 e B3, competem juntos, ou seja, do atleta completamente cego até os que possuem acuidade visual parcial.

•B1 – Cego total: de nenhuma percepção luminosa em ambos os olhos até a percepção de luz, mas com incapacidade de reconhecer o formato de uma mão a qualquer distância ou direção.


•B2 – Lutadores que já têm a percepção de vultos. Da capacidade em reconhecer a forma de uma mão até a acuidade visual de 2/60 ou campo visual inferior a 5 graus.


•B3 – Os lutadores conseguem definir imagens. Acuidade visual de 2/60 a 6/60 ou campo visual entre 5 e 20 graus.

Para quem é da área 2

 O uso das novas mídias

Repassando aos coleguinhas. Postado pelo amigo Hélio Araújo no Facebook


Profissionais e estudantes de Comunicação interessados em saber um pouco mais sobre o uso das novas mídias, como blogs, Twitter e Facebook, podem se inscrever, gratuitamente, no debate que a Escola do Legislativo do Estado do Rio de Janeiro vai realizar sobre “Política e Novas Mídias”, no próximo dia 28, às 18h30. O evento acontecerá na Rua da Alfândega, 8/7º andar, Centro, auditório da Elerj, mas as vagas são limitadas. As inscrições devem ser feitas pelo telefone (21) 2588.1373, de 10h às 17h, até o dia 25 de abril.

Os debatedores deste primeiro encontro serão Juliano Borges, professor da UERJ, doutor em Ciências Políticas pelo Iuperj e autor do livro "Webjornalismo: política e jornalismo em tempo real", e Marcelo Serpa, professor de Comunicação Política e Eleitoral da UFRJ, doutor em Comunicação e Cultura e coordenador do Núcleo de Marketing da mesma instituição. O deputado Gilberto Palmares, coordenador geral da Escola do Legislativo, será o mediador do encontro.

Obs: já confirmei presença... a galera toda do Face tb. Eu recomendo!!!!

Para quem é da área

9a. Edição do Curso JPPS-Jornalismo de Políticas Públicas Sociais

Jornalista que se preza não pode ficar de fora desse curso!!!!!!!!

https://spreadsheets.google.com/viewform?formkey=dHMwRURUdF9SckNzMUExaGZqUTZJSlE6MQ

Eu estarei lá....

Pelas vítimas de Realengo

Culto Ecumênico

A Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR) estará, em parceria com a Arquidiocese do Rio de Janeiro, no culto pelas vítimas do massacre na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo. A cerimônia começará às 9h, em frente ao colégio. Católicos, umbandistas, candomblecistas, judeus, muçulmanos, wiccanos, ciganos, evangélicos, hare Krishnas, entre outros segmentos estarão no ato ecumênico na tentativa de levar palavras pelo conforto de pais, professores e moradores daquela região. 


A paz agradece!!!!

Para reflexão dos coleguinhas na hora de tratar do assunto: a educação inclusiva para deficientes

Mais uma  análise dos coleguinhas

Para a hora de tratar do assunto: a educação inclusiva para deficientes tem que passar tb. pelos jovens e adultos (reabilitandos). Caso contrário não é inclusão. E a Educação deve se valer da moderna tecnologia assistiva inclusiva (Ensino on line). Dessa forma mata-se "dois coelhos numa cajadada só": Inclusão tecnológica e educacional. Falo não como teórica no asstooo, mas como quem vivencia isso. Ou como vcs que sm mmvisão - escrevo para revista e mantenho blogs, além de fazer pós e cursos através do ensino on line??? Pensem nisso antes de escrever sobre o assunto.

Educação Especial para jovens e adultos já

Cadê a inclusão que estava aqui????? O gato comeu!!!!!

Agora que levantaram o assunto todo mundo vai querer mexer na panela!!!!

EDUCAÇÃO ESPECIAL É TEMA DE DEBATE NA TV ALERJ



O fim das classes especiais e escolas voltadas para a educação de crianças portadoras de deficiência é tema do programa Alerj Debate que vai ao ar nesta terça-feira (12/04), às 21h, na TV Alerj (Canal 12 da Net). A
Política Nacional de Inclusão, que incentiva os estados e municípios a transferir crianças com necessidades especiais para turmas regulares foi discutida pelo deputado Luiz Paulo (PSDB) e a professora da rede estadual de Educação Maria de Lourdes Tavares Henriques. Para Luiz Paulo, a política
descumpre a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, e representa a exclusão. “O que vai acontecer é que os alunos com deficiência serão excluídos. O trabalho desenvolvido nas escolas e classes especiais será jogado fora”,
declarou. Para a professora Maria de Lourdes a política de inclusão é correta, mas precisa ser feita de maneira gradativa, com a capacitação dos professores e a preparação das escolas. “Não existe um programa de
capacitação dos professores que vão atuar nessas classes”, destacou, lembrando o papel de centros especializados como o Instituto Nacional de Surdos (Ines) neste processo. “Escolas como o Ines e o Instituto Benjamin Constant poderiam funcionar como polos de capacitação e preparação de professores”, lembrou. “A inclusão não pode ser feita a qualquer preço. As crianças podem acabar sofrendo prejuízos maiores”, completa Luiz Paulo.
O programa será reprisado no sábado (16/04), às 16h, e no domingo (17/04), às 21h. O debate também poderá ser acessado pela internet, no site http://www.tvalerj.tv/.

Fecha ou não fecha????

O que falta é investimento!!!! Será???

Antes da midia estar ocupadissima com a tragédia de Realengo, o que estava em voga era o fechamento ou não de escolas para Educação Especial - Instituto Benjamim Constante e Instituto Nacional dos Surdos. A possibilidade de o Ministério da Educação (que Educação!!!!!!) fazer isso gerou polêmica e muita discussão. Políticos engajados na causa se manifestaram e os não engajados aproveitaram a onda para posar bonito na foto!!!
Depois de perceberem (ou com medo da repercussão negativa) os técnicos do MEC sinalizam. Leiam a matéria do Globo.

http://oglobo.globo.com/rio/mat/2011/04/11/tecnico-do-governo-nega-intencao-de-fechamento-de-escolas-para-cegos-924203115.asp

Técnico do governo nega intenção de fechamento de escolas para cegos



Plantão
Publicada em 11/04/2011 às 14h53m


Agência Senado Share


BRASÍLIA - O representante da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Antônio José do Nascimento Ferreira, negou que o governo federal tenha interesse em fechar os institutos de educação para cegos. A expansão do número de salas com recursos multifuncionais - que chegariam a 24 mil no país - foi dada como prova do interesse do poder público em investir na capacitação dos deficientes visuais.
Ferreira admitiu, no entanto, uma fragilidade nessa rede. O ponto fraco seria a falta de contrapartida dos estados na designação de técnicos para operar as impressoras em braille fornecidas pela União. A queixa foi feita durante audiência pública da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), nesta segunda-feira, promovida em comemoração ao Dia Nacional do Sistema Braille.
O técnico garantiu o empenho do governo federal em inaugurar, até o final de 2012, o primeiro centro de formação e fornecimento de cães-guia, a ser instalado em Santa Catarina. Citou também parceria entre os Ministérios da Fazenda e da Ciência e Tecnologia para agregar tecnologia aos equipamentos utilizados na formação e capacitação de cegos.




  

Mea Culpa???!!!!

Quem fez o monstro???

No dia seguinte a tragédia em Realengo fiz a seguinte observação no Facebook...
"24 HORAS DEPOIS DE 12 ESTUDANTES - CRIANÇAS - SEREM EXECUTADAS POR UM FRANCO ATIRADOR NUMA ESCOLA DO RIO DE JANEIRO AINDA NÃO ASSIMILEI SE O AUTOR É TAMBÉM VITMA OU SIMPLESMENTE UM DOENTE QUE, SEM TRATAMENTO E ATENÇÃO, SE TRANSFORMOU NUM "MONSTRO". HÁ CULPADOS PELO MASSACRE? OU SÃO TODOS VÍTIMAS? PEÇO REFLEXÃO DOS JORNALISTAS DO MUNDO INTEIRO SOBRE O MODO COMO NOTICIAMOS OS FATOS E NOSSA PARCELA DE CULPA SOBRE O QUE DIVULGAMOS OU PERMITIMOS QUE SEJA DIVULDADO NA MÍDIA.

Inúmeras considerações

Sobre as tragédias humanas....

Vou postar aqui algumas observações feitas por mim em redes sociais.
Tenho percebido alguns fatos: a cobertura sensacionalista por parte de alguns órgãos - é não me venham reclamar do POVO - cuja capa do dia segui etea tragédia na escola de Realengo me pareceu a mais sensata e menos sanguinolenta, infelizmente o que vende jornal é sangue e ponto... os empresários da mídia sabem disso e usam e abusam desse expediente, sim.....Mas o que mais me irrita é ver que usam essa chacina... o nome verdadeiro do que houve é chacina!!!!....  com fins políticos...Vamos ver em 2012.

Correria, prá variar!!!!! Bem vindos novos seguidores!!!!

Apesar de tudo!!!!!!!!

Apesar das tristezas humanas....Victor Hugo teria nos recentes acontecimentos material de sobra para escrever inúmeros volumes de "Os Miseráveis". Apesar da dor coletiva - vamos vivendo e tentando nos refazer a cada minuto, como a fénix. Escrever é preciso. É fundamental para, pelo menos, minimizar a dor. A solidariedade também é necessária para afagar os tristes corações. Recorro as fotos de Robson Barros Torres para tentar diminuir essa dor!!!!!
Bem vindos novos seguidores!!!!!!

quinta-feira, 31 de março de 2011

Outro clássico - Arrastao Elis Regina

Um clássico - Elis Regina - Upa Neguinho - Montreux Jazz Festival

Minha preferida - Elis Regina - Madalena - Montreux - 1979

Memorável - Elis Regina - Atras da Porta - ao vivo

Passional - Elis Regina - Me Deixas Louca

O máximo !!!!!!!! Elis Regina - Como Nossos Pais

Para encerrar março feliz - elis e tom - aguas de março

Para amenizar 15 - A Cruz e a Espada - RPM e Renato Russo

Para amenizar 14 - Renato Russo & Herbert Viana - Nada por mim

Para amenizar 13 - Legião Urbana - Quando o sol bater... (ao vivo)

Para amenizar 12 - Legião Urbana - Ainda é Cedo

Para amenizar 11 - Legião Urbana - Quase sem querer (ao vivo)

Para amenizar 10 - Legião Urbana - Metal Contra As Nuvens

Para amenizar 9 - Legião Urbana - Perfeição ( ao vivo )

Para amenizar 8 - Legião Urbana - Geração Coca-cola

Para amenizar 7 - Legiao Urbana - Sera

Para amenizar 6 - Que país é este - Legião Urbana

Para amenizar 5 - Legião Urbana aovivo (94) Rio - Faroeste Caboclo

Para amenizar 4 - Legião Urbana aovivo (94) Rio - Eduardo e Mônica

Para amenizar 3 - Legião Urbana - Meninos e Meninas (ao vivo)

Para amenizar 2 - Legião Urbana - Pais e filhos (ao vivo)

Para amenizar 1 - Legião Urbana - Tempo Perdido

Os "cassetas" estão certos: piada de última hora

Deputado Marco Feliciano: 'Não aceito as atitudes homossexuais em espaço público'


O parlamentar, envolvido em polêmica semelhante à de Jair Bolsonaro, diz a ÉPOCA que não é racista nem homofóbico

E o que é, então???????

Para amenizar !!!!!!!!!!!

Som na caixa....

Apesar de jornalista por profissão e teimosia, não quero infartar por conaa dos salários oferecidos á classe. Se depender da pressão não morro... 11/7... coisa de criança.... Se depender da "profissão-cachaça" terei um treco na próxima esquina. Por isso um pouco de música para "desligar".


Vou de rock.... anos 80.

"Bota no pé pra cortar" !!!!!!!!!!

Ser blogueiro é a boa!!!!

Como o Sol está em Áries, meu signo regente, e o meu signo ascendente é Escorpião, ando meio venenosa. Então... vou repoduzir aqui o que acabei de postar no Facebook.
Digam-me, coleguinhas.... o que se faz com esse "aumento" ???????? Eu tenho mais é que ter muitas atividades - empresária, professora, blogueira (dá dinheiro, status e tiro na cara), gestora de informação, assessora de imprensa e lá no pé - para cortar, se necessário for, jornalista.

O problema não está nos patrões....

Onde está a autoestima dos jornalistas????

Essa tirei do site do Sindicato dos Jornalistas na íntegra apenas para dizer que o problema não está nos patrões. Nós é que não nos valorizamos... e tenho dito!!!

"Em mais uma rodada de negociações para renovar o acordo coletivo de jornais e revistas, hoje (31), o Sindicato deixou claro que não vai concordar com um índice de reajuste salarial abaixo do INPC, que foi de 6,53% no período de janeiro de 2010 a fevereiro de 2011. Os patrões insistem em 6%. Apesar de manifestação favorável a uma redação mais clara da cláusula do banco de horas, os representantes dos donos de jornais e revistas querem que os sábados sejam transferidos para o banco de horas como dias trabalhados. O acordo com os donos de rádio e televisão foi assinado e o reajuste salarial dos jornalistas será de 6,55%, retroativo a 1º de fevereiro".

De olho na notícia: O Povo Quer Saber - Jair Bolsonaro



Agora a bola é sua:  o que você pensa de Jair Bolsonaro e suas polêmicas declarações?

Últimas horas de exposição fotográfica na Câmara Municipal do Rio

Quem não viu vai ficar na vontade....

Está no Centro da cidade e quer um bom programa cultural???? Aproveite... termina hoje -31 de março. a exposição de fotos "Contrates Urbanos" com trabalhos produzidos pela jornalista Danielle Araújo. A Curadoria, como já disse no post anterior (pura coincidência) é do amigo de lonnnga data, o jornalista Hélio Araújo.

Não vou mudar uma vírgula do que já disse sobre o assunto.... O acervo faz parte do trabalho que Danielle Araujo apresenta no livro Contrastes Urbanos - A desigualdade social através da arquitetura do Rio de Janeiro, que a então estudante de jornalismo da Faculdade Pinheiro Guimarães fez para seu Trabalho de Conclusão de Curso. O resultado foi tão significativo que a Editora Multifoco vai lançar o livro em abril, com 80 páginas e 75 fotografias. Tanto a exposição quanto o livro pretendem mostrar as desigualdades sociais da cidade do Rio de Janeiro através da sua arquitetura. A cidade é cheia de contrastes, tanto arquitetônicos quanto sociais, fazendo com que enxergá-los seja uma forma diferente de entender a situação econômica da cidade. Nesse trabalho, mais do que uma pesquisa foto-jornalística-social, o objetivo da jornalista é mostrar “como a cidade fala se realmente conseguirmos enxergá-la”.
Na pesquisa e no resultado final das fotos é feito um recorte no bairro do Centro e adjacências. Esses lugares foram escolhidos porque ali são encontrados os mais diversos tipos de contrastes e, principalmente, por todo o valor histórico que eles representam para a cidade.
Bairros como o Centro, a Lapa e Santa Teresa revelam alguns dos mais belos e importantes conjuntos arquitetônicos do Rio, onde as moradias se confundem com a história da cidade, seja no nome de suas ruas como nas próprias construções, onde a arquitetura do século XIX convive com edifícios comerciais, prédios e condomínios modernos.
Esses antagonismos ocorrem também no âmbito social, onde pessoas moram em condomínios luxuosos e, do outro lado da rua, outras vivem em cortiços e favelas. Além disso, há a ligação geográfica que existe entre eles, onde o bonde de Santa Teresa, símbolo do bairro, faz o seu trajeto passando pela Lapa até o Centro, ligando assim os três bairros.
A exposição Contrastes Urbanos tem o apoio cultural da Câmara Municipal do Rio de Janeiro; do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro e da HMA Comunicações.



SERVIÇO:


Evento: Exposição Contrastes Urbanos, com fotos de Danielle Araujo
Curadoria: Hélio Araújo
Local: Câmara Municipal do Rio de Janeiro (Praça Floriano, Cinelândia, RJ).
Visitação Pública: termina dia 31 de março de 2011
Horário: Das 9 às 20h (de segunda a sexta-feira) - Entrada Franca

sábado, 19 de março de 2011

Exposição de fotos na Câmara Municipal do Rio de Janeiro

Fotos na Cinelândia


A "Gaiola de Ouro", como é conhecida a Câmara Municipal do Rio de Janeiro, não é somente palco de embates políticos, como nós, cariocas, estamos acostumados a ver. Pelo menos não até o próximo dia 31 de março. É que foi inaugurada ontem a exposição de fotos "Contrates Urbanos" com trabalhos produzidos pela jornalista Danielle Araújo. A Curadoria é do amigo de lonnnga data, o jornalista Hélio Araújo.
O acervo faz parte do trabalho que Danielle Araujo apresenta no livro Contrastes Urbanos - A desigualdade social através da arquitetura do Rio de Janeiro, que a então estudante de jornalismo da Faculdade Pinheiro Guimarães fez para seu Trabalho de Conclusão de Curso. O resultado foi tão significativo que a Editora Multifoco vai lançar o livro em abril, com 80 páginas e 75 fotografias. Tanto a exposição quanto o livro pretendem mostrar as desigualdades sociais da cidade do Rio de Janeiro através da sua arquitetura. A cidade é cheia de contrastes, tanto arquitetônicos quanto sociais, fazendo com que enxergá-los seja uma forma diferente de entender a situação econômica da cidade. Nesse trabalho, mais do que uma pesquisa foto-jornalística-social, o objetivo da jornalista é mostrar “como a cidade fala se realmente conseguirmos enxergá-la”.
Na pesquisa e no resultado final das fotos é feito um recorte no bairro do Centro e adjacências. Esses lugares foram escolhidos porque ali são encontrados os mais diversos tipos de contrastes e, principalmente, por todo o valor histórico que eles representam para a cidade.
Bairros como o Centro, a Lapa e Santa Teresa revelam alguns dos mais belos e importantes conjuntos arquitetônicos do Rio, onde as moradias se confundem com a história da cidade, seja no nome de suas ruas como nas próprias construções, onde a arquitetura do século XIX convive com edifícios comerciais, prédios e condomínios modernos.
Esses antagonismos ocorrem também no âmbito social, onde pessoas moram em condomínios luxuosos e, do outro lado da rua, outras vivem em cortiços e favelas. Além disso, há a ligação geográfica que existe entre eles, onde o bonde de Santa Teresa, símbolo do bairro, faz o seu trajeto passando pela Lapa até o Centro, ligando assim os três bairros.   
A exposição Contrastes Urbanos tem o apoio cultural da Câmara Municipal do Rio de Janeiro; do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro e da HMA Comunicações.

SERVIÇO:


Evento: Exposição Contrastes Urbanos, com fotos de Danielle Araujo
Curadoria: Hélio Araújo
Local: Câmara Municipal do Rio de Janeiro (Praça Floriano, Cinelândia, RJ).
Visitação Pública: De 18 a 31 de março de 2011
Horário: Das 9 às 20h (de segunda a sexta-feira) - Entrada Franca

Rocks na Ilha

Minha ilha é uma maravilha!!!!


Nunca escondi de ninguém que tenho paixão pela Ilha de Vitória, no Espírito Santo. Até pq. fui criada lá. Semana passada, antes de começar essa maratona de correria, recebi um material lindo de um amigo que mora lá. Vou dividir com vcs.


http://vimeo.com/20388665

Em tempos de atenção ao Japão....

Exposição Mariko Mori no Brasil

Fonte: Sobre eventos http://www.sobreeventos.com/2011/03/18/exposicao-mariko-mori-no-brasil-brasilia-sao-paulo-e-rio-de-janeiro/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+EventosBrasil+%28Eventos+2011%29&utm_content=Yahoo%21+Mail 

Pela primeira vez no Brasil a artista plástica Mariko Mori, do Japão, estará expondo suas obras numa excursão que passará por Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro. A artista é um dos nomes mais famosos da arte contemporânea oriental, e estará em território brasileiro com a exposição intitulada "Oneness", que significa unidade, em português. Entre as obras apresentadas está a Wave UFO, uma nave de seis toneladas, com arquitetura futurística e que contém em seu interior sons e animação.

Carnaval passou e nem apareci por aqui!!!!!!!

Falta de tempo mata

Gente que correria louca anda minha vida!!!!!!!!!  Nem acredito que só produzi um post para o meu "blog-mãe". Vamos resolver isso agora, antes que me chamem de novo ao outro lado (nada relacionado a morte, deixo aqui bem entendido).

quarta-feira, 2 de março de 2011

As 20 mais .... e as 30 piores....

Desilusões perdidas

Gente, recebi essa "listinha" - na verdade são duas - e tenho que dividir essas pérolas com vocês. Confesso que nos dois casos já cometi algumas dessas heresias, tanto como asessora de imprensa, quanto como jornalista. Mas, confesso também que o pior foi não isso.  O pior foi não ter ouvido a família quando me alertou sobre a profissão.

Então lá vai...

20 cagadas imperdoáveis de um assessor de imprensa



1. Exigir que o jornalista deixe seu assessorado ler e aprovar a matéria antes da publicação.

2. Ligar várias vezes para a redação para saber quando a matéria vai sair.

3. Confundir o mailing do Maxpress com uma metralhadora de uso exclusivo de um cego.

4. Prometer uma mesma pauta exclusiva a três jornais diferentes.

5. Ser mais chato do que vendedor da Telefônica ao fazer um follow-up (release não é Detecta, nem Speedy).

6. Desconhecer a rotina de uma redação e ligar bem na hora do fechamento, na hora da reunião de pauta ou na hora em que o pauteiro está tentando seduzir a estagiária.

7. Achar que o assessor é um mero distribuidor de releases; não entender nada de estratégia e planejamento.

8. Ser refém da maldita centimetragem.

9. Mostrar desconhecimento do negócio de seu assessorado quando questionado por um jornalista.

10. Confundir “cultivar relacionamentos” com “puxar o saco”.

11. Acreditar quando o dono da agência diz que lá você terá a qualidade de vida que não tinha na redação.

12. Vender uma pauta sobre os negócios ambientalmente responsáveis de seu cliente a uma revista de Jardinagem.

13. Servir filé mignon ao molho madeira na coletiva de imprensa de lançamento de um restaurante vegetariano.

14. Enviar uma imagem em baixíssima resolução quando o repórter pedir uma com, pelo menos, 300 dpi.

15. Ficar falando um monte de merda (mais do que o assessorado) ao acompanhar uma entrevista.

16. Convocar uma coletiva apenas para dizer que sua cliente, uma ex-BBB, mudou a tintura do cabelo.

17. Presentear o repórter com um vírus, que estava num release bem promíscuo anexado ao e-mail.

18. Agendar uma entrevista com o jornalista e esquecer de avisar o assessorado.

19. Escrever um release bem tosco (longo, chato, sem foco, cheio de erros de português), digno de virar piada na redação.

20. Tentar convencer o jornalista de que o peixe que você está querendo vender é um delicioso filé de salmão quando não passa de uma pescadinha safada (e congelada).

------------

30 cagadas imperdoáveis de um jornalista

 1. Perceber que o gravador está sem pilhas só na hora de ligá-lo.


2. Não ter caneta ao começar uma entrevista.

3. Esquecer o nome do entrevistado (mas se o entrevistado for um ex-BBB, a cagada é perdoável).

4. Escrever um texto cheio de clichês.

5. Colocar uma maldita vírgula entre o sujeito e o verbo.

6. Falar “a nível de” e achar o máximo.

7. Fazer perguntas sem nexo a um entrevistado por desconhecimento do assunto.

8. Chegar atrasado e todo suado a uma pauta importante.

9. Falar palavrões num link de TV acreditando estar fora do ar.

10. Editar a matéria de um repórter e assinar com o nome de outro.

11. “Matar” um personagem vivo por erro de apuração.

12. Cometer uma barriga com base em informação de um perfil fake do Twitter.

13. Confundir boato com fato.

14. Esquecer na redação a credencial para um evento importante.

15. Tornar-se assessor de imprensa mesmo odiando ser assessor de imprensa.

16. Narrar um gol do XV de Piracicaba como se fosse do XV de Jaú (e vice-versa).

17. Continuar fazendo frilas para uma editora que sempre dá o cano na hora de pagar.

18. Não dar ouvidos ao pai quando ele perguntar “você tem certeza que quer estudar mesmo jornalismo?”.

19. Publicar legenda esquecendo de deletar o texto de advertência “checar o nome do careca da foto”.

20. Chegar a uma pauta num velório e perguntar para a família do morto se está tudo bem.

21. Entrar no ar com a boca cheia de biscoitos, principalmente se for na TV Globo.

22. Estender a mão para cumprimentar um entrevistado cego.

23. Perder 50 linhas de um texto que não foi salvo depois de um tilt do computador, a poucos minutos do fechamento.

24. Dar em cima da estagiária gostosa que é amante do diretor de redação.

25. Dar para a fonte achando que só por causa disso terá informação privilegiada.

26. Se empanturrar de comer numa coletiva já estando com uma prévia indisposição estomacal (cagada literal).

27. Esquecer de ouvir o outro lado, mesmo que o outro lado seja o do doutor Paulo Maluf.

28. Levar a(o) namorada(o) para uma pauta roubada num sábado à noite.

29. Interromper uma entrevista porque o seu celular tocou (se o toque for um axé, cagada duplamente imperdoável).

30. Não entender a própria letra no bloquinho de anotações.

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Para depois do Carnaval

Profissionais de Educação em SP discutem preparo do aluno em sala de aula

Essa é para depois do Carnaval e acontece em Bauru, SP.



Será realizado no dia 11/03/2011 o 2º Encontro dos Profissionais da Educação de Bauru, cidade do interior do Estado de São Paulo. O ponto forte do encontro será a palestra de Luis Henrique Beust, que discursará sobre o tema “Educando o ser Humano”, e que tem como foco retratar que a escola deve preparar o aluno para o crescimento pleno e integral. Cerca de 2 mil pessoas devem participar do evento. O horário das palestras será das 8h30 às 11h, e também à tarde, das 14h às 16h30.



Endereço: Auditório do Sesc – Avenida Aureliano Cardia, 6-71.

"Folia sem traumas" na Ponte Rio-Niterói

Doente do pé, não!!!!

Começa daqui a pouco a campanha “FOLIA SEM TRAUMA. Não faça deste o seu último Carnaval”, na Ponte Rio-Niterói, um dos principais acessos para o folião que  vai passar o Carnaval fora do Rio de Janeiro e também para o turista que chega a cidade.
Ortopedistas da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia do Rio de Janeiro e integrantes das equipes da Secretaria de Estado de Saúde e Defesa Civil (Sesdec), da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Ponte S/A oferecerão a motoristas e passageiros que seguirem na direção Niterói-Rio, serviços como exame de campo visual, medição de glicose e de pressão arterial, além de dicas de exercícios para garantir o conforto e a segurança de quem vai viajar.
Para alertar sobre os perigos e consequências de imprudências no trânsito, o superintendente de Urgências e Emergências Pré-hospitalares, coronel Fernando Suarez, estará no local com equipe do 1º. Grupamento de Socorro de Emergência (GSE) demonstrando em bonecos os tipos de fraturas que podem ser causados por colisões automobilísticas, atropelamentos e acidentes de motos. Haverá uma ambulância no local para as demonstrações.
Essa é uma tremenda iniciativa nesses dias pré-carnaval. Se a turma da estrada entender direitinho a campanha pode evitar muitas tragédias depois da quarta-feira de cinzas. 

Pra quando o Carnaval chegar ... e está chegando

 E o Carnaval está chegando !!!!!!

Preparem suas máscaras, fantasias e agogós. O Carnaval pede passagem. Eu, cansada da folia  Sambromo do Rio - já participei como bicona, já cobri como jornalista, já desfilei. Definitivamente, cansei.... quero outros Carnavais.
Sinto saudades dos antigos Carnavais de rua - mas aqueles antigos, mesmo. Os dos anos 70. Os bailes no clubes familiares (minha irmã sempre me levava para o do Grajaú Tenis Clube - bairro carioca onde moravamos - e fazia fantasias lindas para mim. Um ano vez uma grega amarela, com lantejoulas douradas na capa, um luxoooooo)
Os Carnavais de rua ... aqueles que você podia brincar sem riscos. Adorava os Carnavais em Jacaraípe, beneáreo capixaba, onde todos os anos passávamos férias. Tanto no clube, quanto nas ruas... era um delícia. Curtia muito ver os bloco  de piranhas. Achava engracadérrimo aquela homarada - macho de verdade - de salto e batom vermelho.
Vamos ver o que as bandas e blocos nos reservam para esse ano. Vou passar, se nada mudar meus planos, tranquilamente em casa.
Como as escolas de samba não tem oferecido muita novidade e os aambas de enredo pouca cadência, vou passar os dias em muita caminhada na praia, uma sauninha, e algum sossego.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Mordaça, não!!!!!!!!!!!!!!!

Já foi o tempo!!!!!!!!

A jornalista Bernadete Travassos acabou de postar no noso grupo no facebook (JornalistasRJ) um texto que trata de assunto muito sério. Assunto aliás, que todos nós - do tempo das pretinhas - repudiamos: censura.

Segue o material na íntegra:

"O Movimento LutaFenaj! repudia a decisão do juiz federal Antônio Carlos Almeida Campelo, titular da 4ª Vara Cível de Belém, que proibiu o jornalista Lúcio Flávio Pinto, editor do Jornal Pessoal, de publicar reportagens sobre o teor de um processo que tem como réus os proprietários do Grupo Liberal (que controla jornais e emissoras de TV
e de rádio), que respondem por crime contra o sistema financeiro nacional.
O juiz ameaça punir o jornalista com “prisão em flagrante” caso ele descumpra o seu despacho, o que constitui evidente abuso do magistrado e um atentado contra a liberdade de expressão. A ameaça comprova que,
no Brasil, os grandes censores são os empresários da mídia e seus aliados nos poderes executivo, legislativo e judiciário.
Lúcio Flávio Pinto merece apoio total dos jornalistas, por sua
integridade, sua importante contribuição ao jornalismo brasileiro ao longo da carreira, e sua coragem, ao enfrentar interesses econômicos poderosos sem fraquejar, tendo como principal compromisso os interesses maiores da população e dos seus leitores.


São Paulo, 24 de fevereiro de 2011
Movimento LutaFenaj!"


Ai pergunto eu: a senhora presidente - alvo de turtura durante a repressão militar - não garantiu, no seu discurso de posse total liberdade de imprensa? Sábias palavras do jornalista Fernando Gabeira: o que é isso, companheiro!?

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Em Carnaval de Jornalista ...tudo acaba na redação!

Marchinhas inspiradas nos coleguinhas

Época de Carnaval a galera solta o lado folião e gozador  para tratar de assuntos sérios. Nós, jornalistas cariocas, resolvemos levar na "galhofa" (termo muito usado pelo meu ídolo Sérgio Porto, meu querido Stanislaw Ponte Preta) nossos prazeres e desprazeres.
A jornalista (tremenda mestra) Gisela Alvarez postou no grupo JornalistasRJ, no Facebook, criação de outra coleguinha, a Rosayne Macedo, diversas paródias carnavalescas cujo tema é jornalismo ou os jornalistas. Está de rolar de rir. Na verdade é a tragicomédia do nosso dia-a-dia.
Riam conosco, nunca de nós.

Me dá um frila aí (versão de Me dá um dinheiro aí)


Ei, você aí, me dá um frila aí
Me dá um frila aí
Ei, você aí, me dá um frila aí
...Me dá um frila aí.

Não vai dar?
Não vai dar, não?
Vou te ligar e ir à redação
Te enlouquecer de tanto insistir
Me dá, me dá, me dá (oi)
Me dá um frila aí.

A audiência do jornal (versão de A pipa do vovô)


A audiência do jornal não sobe mais
A audiência do jornal não sobe mais
Apesar de explorar só desgraça
O jornal já perdeu o seu gás.

Ele tentou mais uma chacininha
O Ibope não deu nenhuma subidinha
Ele tentou mais uma enchentizinha
O Ibope não deu nenhuma subidinha.

 
Passaralho (versão de Saca-rolha)


Cabeças vão rolar
Um pé na bunda eu não quero é levar
É o passa-passa-passa-passa-passaralho
Vamos saber quem vai sobrar!

Imprensa não é livre (versão de Cachaça não é água)


Você pensa que a imprensa é livre?
Imprensa não é livre, não.
Ser livre é falar verdades
Sem medo de uma demissão.


Ô, produtor (versão de Allah-lá-ô)


Ô, produtor, ô ô ô ô ô ô
Tu demorô, ô ô ô ô ô ô
Pra agendar a entrevista que me falta
A rival foi mais esperta
E furou a nossa pauta.

Pauteira (versão de Jardineira)


- Minha pauteira, por que estás tão triste?
Mas que tragédia não aconteceu?
- Não teve enchente, nem caiu barraco
Nenhum incêndio e ninguém morreu.

Nenhum riso (versão de Máscara negra)


Nenhum riso, ó, nem alegria
Mais de dez palhaços de plantão
Todo mundo festejando o carnaval na avenida
E a gente na redação.


Salário do Zezé (versão de Cabeleira do Zezé)



Olha o salário do Zezé!
Será que ele é?!
Será que ele é?! (jor-na-lis-ta)

Olha o salário do Zezé!
Será que ele é?!
Será que ele é?!

Será que ele ganha o piso?
Será que ele é muito ralé?
Parece repórter de rádio
Mas isso eu não sei se ele é.

Melhora o salário dele! (pã pã)
Melhora o salário dele! (pã pã)
Melhora o salário dele! (pã pã)
Melhora o salário dele

Falando sério....

A Câmara Municipal do Rio de Janeiro é uma piada ....sem graça

Essa quem me passou foi o jornalista Márcio Motta ontem, através do grupo do FC JornalistasRJ. Segundo Motta contou na rede social, a Casa "elegeu os integrantes da comissão da Criança e do Adolescente.
O pediatra Dr. Eduardo Moura, pleiteou uma vaga nesta comissão, mas os vereadores decidiram escolher o hoje presidiário e ainda vereador Fausto Alves.
Esses vereadores sabem a diferença entre um presidiário e um pediatra?
Aos gritos o primeiro secretário Jairinho mandou: “Ta bom assim, encerra a votação presidente!”
E o presidente disse amém! E o pediatra dançou!".


Quem quiser conferir está lá no Facebook (Grupo Jornalistas RJ).

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Carnaval sem traumas no Rio de Janeiro


Sociedade de Ortopedia lança campanha de Prevenção de Acidentes 


Essa notícia acabei de receber da amiga Simone Botelho e vale a pena fazer uma espalhaffatto com a informação. Estatísticas dão conta de que o número de atendimentos pós-carnaval aumentam 30% nos consultórios ortopédicosPara jogar luz sobre o problema a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia do Rio de Janeiro (SBOT-RJ) lança na próxima quinta-feira, dia 24 de fevereiro, campanha para redução de acidentes nas estradas no período de Carnaval, junto com Governo do Estado e com a Polícia Rodoviária Federal.
A campanha “FOLIA SEM TRAUMA. Não faça deste o seu último Carnaval”. foi idealizada pela Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia do Rio de Janeiro (SBOT-RJ) com apoio do Governo do Estado, da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e das concessionárias CCR Ponte e Barcas S/A a campanha tem o objetivo de evidenciar para a população a importância da prevenção de acidentes nas rodovias durante o período de Carnaval — época em que o número de vítimas de acidentes de trânsito aumenta significativamente.
Além de distribuição de material informativo em pontos estratégicos da cidade, a campanha contará com ação social na Ponte Rio-Niterói, onde haverá grande mobilização de equipes de resgate e saúde que vão oferecer diversos serviços gratuitos aos condutores de veículos e passageiros na semana que antecede o Carnaval.
Ótima iniciativa.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Rapadura é doce e não é maconha, nem crack

É doce, mas não é mole, não!!!!!!!

Esse fato aconteceu na última sexta-feira e vale a pena fazer um espalhaffatto em cima disso para que sirva de exemplo aos idiotas de plantão!  
Definitivamente a "poliçada" - deixo claro aqui que não estou generalizando - uma parte da  "poliçada", para ficar melhor entendido. mas voltando a farinha seca.... uma parte da "poliçada" não está preparada ´para agir rnas ruas nem das grandes, muito menos das pequenas cidades do país.
Enquanto no Rio de Janeiro vemos fatos recentes envolvendo a cúpula da Polícia Civil (prefiro nem adentrar muito no assunto, que é podre),  em Ourinhos, no interior de São Paulo, a turma nem consegue diferenciar um embrulho de rapadura de um pacote com "grande quantidade de crack" ou o que o valha.
Se fosse eu - e tenho quase certeza de que a professora Angélica Batista fará isso - não deixaria barato. Processo neles por incompetência, idiotice, imbecilidade e todos os demais sinônimos para a palavra encontrado no dicionário.
Pior foi o delegado seccional de Ourinhos, Amarildo Aparecido Leal, dizer que os policiais "usaram o procedimento padrão diante da situação", mas que, "mesmo assim, o caso será investigado".
Isso é de uma imbecilidade cavalar. E tenho dito!


 

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Programa para jornalista folião

Imprensa que eu Gamo no Mercado São José 

Hoje quase não apareceu ninguém grupo do Facebook JornalistasRJ, criado pela Rosayne Macedo. Com certeza  repórteres, pauteiros, produtores, fotógrafos, cinegrafistas, até os chefes foram convocados para o já tradicional desfile do bloco 'Imprensa que eu Gamo".
Eu, infelizmente, não pude estar lá. Estou distante. Do Recreio ao Mercado São José, em Laranjeiras, onde aconteceu a concentração é muito chão. Mesmo para quem só anda no ônibus do condomínio.
Além do mais... tem uma penca de documento da empresa da família na mesa ao lado (trabalhar em casa é brabo. Isso aqui não é redação, mas é "full time". Haja TNT nas idéias).
Mas desejo aos coleguinhas foliões muita animação e lembrem-se que amanhã tem plantão de domingo!!!!!!! Por favor, não gastem todas as baterias.

Estudantes de alma lavada

Cadeia neles!!!!!!!!!!

Os estudantes prejudicados no Exame Nacional do Ensino Médio do ano passado devem estar, no mínimo, de alma lavada. É que o Tribunal de Contas da União (TCU) condenou dois ex-diretores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) pelo vazamento das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2009.
Foram condenados Heliton Ribeiro Tavares, que era diretor de avaliação da educação Básica do Instituto, e Dorivan Ferreira Gomes, coordenador-geral de exames do Inep. Cabe recurso. O acórdão com a decisão do tribunal foi divulgado na última quarta-feira.
Boa a notícia. Acaba com aquela sensação horrível de impunidade.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Obama em fotos chega à Caxias

Exposição fica até 31 de Março na Biblioteca Leonel Brizola

Um pouco da vida pessoal do presidente Barack Obama está aberta ao público no município de Duque de Caxias. Trata-se da exposição “Obama: O Cara que Poucos Conhecem”, composta de 20 fotos que mostram o presidente norte-americano em situações informais. A exposição é uma iniciativa da Embaixada dos Estados Unidos e conta com o apoio da Prefeitura de Duque de Caxias.
A cerimônia de abertura da exposição, que aconteceu hoje, contou com a presença do Cônsul e diretor da Seção de Imprensa, Educação e Cultura, Mark Pannell, e do vice-cônsul Quentin Barber.  
O prefeito de Duque de Caxias José Camilo Zito recebeu do cônsul o livro: “Barack Obama, Audácia da Esperança”. E finalizou sua fala com uma mensagem: “È essa união que ele prega que devemos passar para que cada um de nós tenha cada vez mais orgulho de ser duquecaxiense”.
Taí, uma boa pedida para a garotada que deseja saber quem é o cara.

Mas eu disse, não disse!!!!???? Minha bolinha de cristal não falha!!!!!!!!!!

Eu não falei?????

Menos de 24 horas depois de ter visto na minha bolinha de cristal que as palavras da vereadora carioca Andrea Gouvêa Vieira (PSDB) iam dar o que falar entre os parlamentares carioca.... foi batata. Como se eu não conhecesse a turma da "gaiola de ouro". Estou gostando muito do que estou vendo. 2011, ao contrário do que imaginava, não será morno. A "chapa promete esquentar".
Na tarde de hoje a vereadora enviou à imprensa, através de sua assessoria a seguinte nota:

Nota à imprensa


Sobre a reação do ex-secretário especial de Ordem Pública, deputado federal Rodrigo Betlhem, a supostas declarações a mim atribuídas na imprensa, esclareço que:

A CPI que tento instalar na Câmara Municipal tem como objeto a denúncia da Polícia Federal de que uma quadrilha formada por policiais vinha atuando dentro da subsecretaria de Operações da Secretaria Municipal de Ordem Pública do Rio de Janeiro.
Trata-se de fato grave e que merece, no interesse da população e do poder público, apuração a mais ampla e minuciosa possível. A nomeação simultânea do subsecretário de Operações delegado Carlos de Oliveira à do secretário de Ordem Pública, Rodrigo Betlhem, seu chefe, portanto, leva naturalmente a imprensa a indagar se as ligações do delegado preso com as áreas de milícias, como apontou a PF, teriam evitado ações do choque de ordem naquelas regiões, quando o secretário era Rodrigo Betlhem.
Por ser a autora do pedido da CPI, invariavelmente a pergunta me é feita. E invariavelmente tenho respondido que o único fato de meu conhecimento em relação ao secretário Bethlem e a grupos paramilitares é o relatório da CPI das Milícias da Alerj, no qual o ex-vereador Cristiano Girão, apontado como chefe da milícia da Gardênia Azul, na Zona Oeste, atribui a Bethlem sua indicação para cargo de assessoria no Governo Estadual.
Cristiano Girão sempre fez questão de demonstrar ter intimidade com Bethlem e, acintosamente, no plenário da Câmara, durante a aprovação da lei da Guarda Municipal, fez questão de permanecer todo o tempo "grudado" ao secretário, que, a meu ver, ficou constrangido com a situação.
Não sei se procede ou não a declaração feita por Cristiano Girão à CPI das Milícias, assim como desconheço qualquer comentário do secretário a respeito.
Erra, portanto, o deputado Rodrigo Bethlem ao concluir que eu o acusei de não atuar em áreas de milícia. Acompanhei, apoiei e aplaudi todas as ações do então secretário nas comunidades onde loteamentos ilegais foram reprimidos, notadamente no Terreirão, no Recreio dos Bandeirantes - área dominada, salvo engano, por um dos grupos de milícia que também disputam território, tal como as facções do tráfico.
Nos jornais, as minhas palavras estão sempre entre aspas. Se o texto, sem as aspas, tiver porventura conduzido a outras conclusões, fica aí o esclarecimento.
Volto a afirmar que uma Comissão Parlamentar de Inquérito seria a solução institucional, e não pessoal, para dissipar qualquer tipo de dúvida.

Andrea Gouvêa Vieira
Vereadora da cidade do Rio de Janeiro pelo PSDB

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Dobradinha Esporte e Educação em Caxias

Uma bela iniciativa!

Continuemos a esquecer as bandas podres que rolam por aí. Vamos pensar no futuro. Isso é o que a Prefeitura de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, está fazendo. Parceria entre Secretaria de Educação de Caxias e 15ºBPM (Duque de Caxias) vai reunir alunos e jovens carentes em iniciativas esportivas. O programa, denominado "Educação para o Esporte com Segurança" terá início segunda-feira, dia 21, no próprio batalhão da PM, onde as crianças aprenderão judô, karatê, basquete... tudo na companhia dos militares. Legal. Eu recomendo!!!!   

Amenidades, por favor!!!!!!!!!!!

"Lugar quente é na cama ou então no Bola Preta"

Deixemos um pouco os fatos pesados de lado. Faltando pouco para o Carnaval - apesar do pesares a folia de Momo vem ai. Portanto, vamos a folia!
O amigo Hélio Araújo me manda a seguinte notícia. Nos próximos dias 19 e 26 de fevereiro a alegria vai chegar mais cedo para os moradores de Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. É que lá vão acontecer dois grandes bailes pré-carnavalescos embalados pelo tradicional "Cordão da Bola Preta" (Meu pai adorava e minhas sobrinhas não perdem um desfile do bloco que arrasta multidões todos os anos no Centro do Rio).
Mas voltando á Bangu..... os bailes vão acontecer a partir das 20 horas em ambiente tradicionalmente familiar: o Centro de Convivência Padre Miguel, na Rua Francisco Real, 365. A Banda do Cordão da Bola Preta vai apresentar um repertório que inclui diversas marchinhas carnavalescas e sambas-enredos que marcaram época, além de grandes sucessos do Carnaval carioca.
Os portões do Centro de Convivência Padre Miguel serão abertos a partir das 19h e o ingresso individual custa R$ 15,00. As mesas com quatro lugares custam 80,00 (pista) e R$ 100,00 (camarote). Informações através do telefone (21) 3337-2629

Sou obrigada a concordar!

Lugar de preso é na....

Acabo de receber material da vereadora carioca Andrea Gouvêa Vieira (PSDB). Oportunamente, ela toca num asunto sério, num momento crítico da Segurança do Estado  do Rio de Janeiro e sou obrigada a concordar com ela. Vou transcrever aqui o texto que me foi enviado pela parlamentar em seu boletim on line. Em tempo falta pouco para 2014 e 2016 nem está distante.


"Lugar de preso é longe da Câmara


A Câmara Municipal do Rio de Janeiro vai votar proposta da Mesa Diretora para que o vereador que permanecer preso por mais de 30 dias corridos seja afastado do exercício do mandato e tenha o pagamento suspenso imediatamente - independentemente de ter ou não ocorrido sessões ordinárias. Hoje, o parlamentar só tem o salário descontado quando falta às sessões ordinárias.
A proposta prevê a convocação do suplente, caso o parlamentar fique na prisão por 120 dias corridos.
Atualmente, um vereador preso só perde o mandato se for cassado pelo Conselho de Ética ou se faltar a mais de um terço das sessões, o que deixa brecha para que os vereadores presos intercalem faltas e licenças e se mantenham no cargo por mais tempo.
Este é um importante avanço na tentativa de moralizar e valorizar a Casa e dar ao cidadão uma resposta, numa época em que não é incomum que legisladores municipais sejam presos.
Nos últimos seis anos, a Câmara teve quatro vereadores presos: Jerominho, Nadinho de Rio das Pedras, Cristiano Girão e Fausto Alves. Sem falar em Carminha Jerominho, que assumiu o cargo depois de comandar sua campanha de dentro da cadeia."

Andrea Gouvêa Vieira

Se pouco conheço a Câmara Municipal do Rio de Janeiro isso vai dar o que falar.